Pudim de Chocolate Zero Royal

Publicado em 25 de julho de 2013
NOTA
7.8

012345678910
Os melhores são os ricos em nutrientes, com menor nível de processamento e sem aditivos ou substâncias artificiais. Saiba mais em Como Funciona.

Avalie este produto:

 

 
Classificação
Guia Alimentar
Ultraprocessado
Gord Totais
0,0g
baixo
Gord Sat
0,0g
baixo
Gord Trans
0,0g
livre
5,6mg
baixo

Fique esperto!

Não somos contra a gordura, pois ela é necessária ao nosso organismo. Mas, o que mais vemos em produtos industrializados é excesso de gordura, de açúcar e de sódio. Por isso, ficamos felizes em ver produtos como esse.
As fibras propiciam saciedade ao nosso organismo e auxiliam o funcionamento do nosso intestino. Mas, fique esperto para ver de onde vem essas fibras. O que temos visto são produtos ultraprocessados cheios de fibras adicionadas artificialmente, o que não é o mesmo do que um produto com fibras advindas de ingredientes integrais em sua composição.
Encontramos tanto açúcar nas mais diversas formas em produtos industrializados, inclusive, em produtos salgados, que gostamos de encontrar um produto sem adição de açúcar.
Em geral, preferimos encontrar o adoçante natural ao artificial. Os adoçantes artificiais são produzidos por processos químicos em laboratório, ou seja, não se encontram na natureza.
Consideramos aditivo alimentar a evitar aquele em que já encontramos estudos com humanos que demonstrem algum prejuízo ou é um aditivo proibido em outro país. A ANVISA autoriza o uso de aditivos com limite máximo numérico de modo que a quantidade não seja prejudicial à saúde. No entanto, tem muitos aditivos em que a quantidade máxima diária não é estabelecida fazendo com que esses aditivos sejam autorizados com limite quantum satis (q.s.), ou seja, quantidade suficiente para obter o efeito tecnológico desejado, desde que não alterem a identidade e a genuinidade do alimento. Complicado, né? Além disso, há casos em que o limite estabelecido em outros países é menor do que o determinado pela ANVISA. O fato de não haver a especificação da quantidade do aditivo acrescentado na maioria dos rótulos prejudica o consumidor, pois não se sabe a quantidade ingerida ao longo do dia. Assim, salientamos tais aditivos para quem deseja evitar o seu consumo.
Consideramos aditivo alimentar controverso aquele em que já encontramos estudos com animais que demostrem algum malefício ou quando há estudos mostrando benefícios, mas também há estudos mostrando possível prejuízo ou quando há corantes e aromatizantes artificiais os quais acreditamos que possam ser utilizados pela indústria para criar uma característica desejável ao produto. Por exemplo: é comum encontrarmos produtos a base de fruta com corante e aromatizante artificial imitando a fruta… Para quê? Não bastaria acrescentar a fruta? Salientamos tais aditivos para vocês refletirem sobre essas possíveis 'armadilhas' da indústria ou para quem simplesmente deseja evitar esse tipo de aditivo. É claro que a quantidade e a frequência de consumo devem ser levadas em consideração. No entanto, como frequentemente o fabricante não informa a quantidade de cada aditivo utilizada e há inúmeros produtos que utilizam diversos aditivos alimentares em sua composição, não se sabe a quantidade ingerida ao longo do dia.
Geralmente, quanto mais aditivos alimentares um produto possui, menos ele se parece com o que faríamos em casa e, portanto, mais artificial ele se torna. Isso nos preocupa, principalmente, se forem aditivos alimentares a evitar ou controversos!
O Guia Alimentar para a População Brasileira classifica todos os produtos com aditivos alimentares (com exceção do leite) como ultraprocessados. Quando colocamos em prática essa classificação, percebemos que isso gera alguma confusão, pois nem todos os produtos com aditivos alimentares são tão ruins. Assim, concordamos com o Guia no sentido de que alimentos com substâncias derivadas de constituintes de alimentos (gorduras hidrogenadas, amido modificado) ou sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas como petróleo e carvão (corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades sensoriais atraentes) em sua formulação devem ser evitados. Composições desbalanceadas nutricionalmente como essas favorecem o risco para doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer. No entanto, aqueles produtos com aditivos alimentares como sucos com ácido cítrico, doce de fruta com pectina, macarrão com urucum, na nossa opinião, não precisam receber a mesma classificação apesar de conterem aditivos alimentares, pois não são produtos nutricionalmente desbalanceados como os ultraprocessados acima citados. Portanto, para facilitar sua compreensão e decisão para consumi-los ou não, manteremos a classificação do Guia (ultraprocessado), mas incluiremos uma observação em relação aos aditivos alimentares utilizados, dividindo-os em: 'inofensivos', 'controversos' e 'a evitar', conforme estudos sobre seus efeitos para a saúde do consumidor.

Ingredientes

Amido de milho geneticamente modificado, cacau, espessante carragena, edulcorantes artificiais ciclamato de sódio, aspartame, sacarina sódica e acesulfame de potássio, aromatizante. NÃO CONTÉM GLÚTEN. Fenilcetonúricos: contém fenilalanina.

Tabela Nutricional

Porção: 8.2g (1 colher de sopa)
%VD*
Valor energético 28,00kcal 1%
Carboidratos 5,90g 2%
  Açúcares 0,00g **
Proteínas 0,60g 1%
Gorduras Totais 0,00g 0%
  Gorduras Saturadas 0,00g 0%
  Gorduras Trans 0,00g **
Fibra Alimentar 0,80g 3%
Sódio 5,60mg 0%
* % valores diários de referência com base em uma dieta de 2.000kcal ou 8.400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo da sua necessidade energética.
** valores diários não estabelecidos
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma Resposta